Portaria do Plano de Manejo da APA Bacia do Rio Descoberto

No dia 11 de dezembro de 2014 foi publicado o Plano de Manejo da Área de Proteção Ambiental Bacia do Rio Descoberto (Portaria N. 133 de 11/12/2014), um grande presente de Natal para os moradores desta APA e para o Brasil como um todo! Sim, o Brasil ganhou com este Plano de Manejo, pois 67% da água consumida pela população moradora de Brasília sai de dentro desta Unidade de Conservação. O planejamento e a implementação desta Unidade é de estratégia nacional! Brasília é capital do nosso país e, mesmo que contraditório, ela foi construída numa das regiões que mais tem escassez de água ao longo do ano naturalmente, foi construída sobre o Cerrado!

Sem título

Um pouco de história para ressaltar este grande feito da Bio Teia Estudos Ambientais e dos nossos grandes parceiros do ICMBIO/APA Bacia do Rio Descoberto/ COMAM e da população moradora:

A APA Bacia do Rio Descoberto foi criada pelo Decreto 88.940 de 07 de novembro de 1983, abrangendo uma área de 39.100 ha, na qual está incluída área correspondente a 8.411 hectares, referentes as glebas I, III e IV da Floresta Nacional de Brasília, como também a Reserva Biológica do Rio Descoberto (distrital) com 434,5 ha, o Parque Ecológico Veredinha com 29 ha (distrital) e o Parque Estadual do Descoberto no Estado de Goiás com 1.935,6 ha.

Segundo o artigo 1º do decreto supracitado, a APARD tem como objetivo principal, “proporcionar o bem-estar futuro das populações do Distrito Federal e de parte do Estado de Goiás, bem como assegurar condições ecológicas satisfatórias às represas da região”. Neste contexto, o objetivo principal da APARD é a proteção do lago do Descoberto e dos mananciais hídricos que o formam.

DSC_9351

Para ordenar o uso da terra na APA, em 1988, foi publicada a Instrução Normativa SEMA/ SEC/ CAP 001/1988 que estabeleceu um zoneamento ambiental, elaborado com base em estudos contratados pela Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (CAESB), empresa pública responsável pelo abastecimento de água da capital federal. Constatada a necessidade de revisão desse instrumento de manejo, o IBAMA, em 1994, tomou a iniciativa de contratar novos estudos com vistas à revisão do seu zoneamento, trabalho que foi elaborado em sua maior parte, mas não finalizado por questões técnicas e políticas na época. Outra tentativa de atualização ocorreu em 1998, quando foi iniciada a elaboração de um Plano de Gestão, também não concluído por insuficiência de recursos.

A partir da insuficiência de implementação da Instrução Normativa SEMA/SEC/CAP 001/1988 e da impossibilidade de conclusão da revisão do zoneamento, das demandas emergentes de conservação dos mananciais hídricos do Distrito Federal e de todos os conflitos existentes em relação ao uso do solo e ocupação desordenada, viu-se a possibilidade de incluir no TAC 013/2005 da empresa Qualix (atualmente Sustentare S/A) a elaboração do Plano de Manejo da unidade.”

Agora em 2014 o planejamento da APA Bacia do Rio Descoberto foi concluído! A Bio Teia Estudos Ambientais aceitou o desafio de juntamente com a Sustentare S/A elaborar este Plano de Manejo juntamente com o Plano de Manejo da Floresta Nacional de Brasília, que ainda está em fase de aprovação do seu Plano de Manejo.

Para a elaboração deste trabalho contamos com vários parceiros que nos surpreenderam e nos ensinaram muito e cabe aqui ressaltar estas instituições: Administração Regional de Brazlândia, Administração Regional de Taguatinga, Município de Águas Lindas de Goiás, CAESB – Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal, IBRAM – Instituto Brasília Ambiental, Pró-Descoberto – Associação dos Produtores e Protetores da Bacia do Rio Descoberto, AGE – Associação de Agricultura Ecológica, EMATER – Secretaria de Agricultura e Desenvolvimento Rural, EPAGRI e IBAMA.

Junto a estas instituições os seus representantes dos quais eu destaco primeiramente a Sra. Célia Lontra Analista Ambiental do ICMBIO e que foi coordenadora deste Plano de Manejo. Os chefes da APA Bacia do Rio Descoberto, o Lídio e o Robson e toda a equipe de analistas. E da comunidade destaco o Sr. Fabio Harada da Administração Regional de Brazlândia, o Sr. Fabio Baker, da CAESB, o Sr. Rogério Silva do IBRAM, a Sra. Rosany Carneiro e seu pai da Pró-Descoberto e o Sr. Jorge Arthur e sua esposa Terêsa da AGE. Foram pessoas que demonstraram a sua civilidade e interesse em fazer com que esta Unidade de Conservação cumpra com os objetivos para os quais ela foi criada.

_DSC4661

Todos os participantes, além dos que foram destacados, foram marcantes e altamente produtivos ao longo do processo de elaboração do Plano de Manejo da APA Bacia do Rio Descoberto.

A Bio Teia Estudos Ambientais é uma empresa jovem, mas os profissionais que trabalham com a nossa empresa se destacam por terem em sua formação e profissão a conservação dos ambientes naturais e a vontade de deixar um futuro melhor para o nosso país. São eles: Vegetação – Eduardo Brogni – Engenheiro Florestal, Msc Engenharia Ambiental e Carlos Eduardo Grippa – Biólogo e estagiária a Fernanda Cristina F. Crispim – Bióloga; Ictiofauna – Gislaine Otto – Bióloga, Msc Zoologia; Avifauna – Adrian Eisen Rupp – Biólogo e Daniela Fink – Bióloga, Msc. Meio Ambiente e Saúde; Herpetofauna – Wilian Vaz-Silva – Biólogo, Dr Ciências Ambientais e o Paulo Henrique Pereira de Souza – Biólogo; Mastofauna – Cintia Gizele Gruener – Bióloga, Msc Engenharia Ambiental e ainda David Luz, biólogo que estudou as abelhas-sem-ferrão na FLONA de Brasília e participou da Oficina de Pesquisadores da APA Bacia do Rio Descoberto para auxiliar no planejamento.

Na área socioambiental nós tivemos o Marcos Alexandre Danielli – Biólogo e mestre e a Edilaine Dick – Bióloga, Especialista em Educação no Campo e Desenvolvimento Territorial. Esta última pesquisadora moderou as Oficinas de Planejamento Participativo e fez toda a diferença em unir todas as instituições participantes em prol da elaboração de um zoneamento mais efetivo e eficiente.

Na parte física tivemos a Sara Ferrigo, Clima, Mapa do Uso do Solo e Pedologia, a Kassia Castro e a Larissa Ane Sousa Lima – Geologia; Ricardo Vieira – Hidrogeologia; Tatiana Gonçalves Diniz –Geomorfologia, junto com o Gervásio Barbosa S. Neto, que também fez o estudo de análise de paisagem. E para coordenar toda esta equipe aí acima o Dr. Henrique Llacer Roig, professor da UNB, além de elaborar todos os mapas de análise do meio biótico e análise de paisagem.

O SIG – Sistema de Informação Geográfica e finalização dos mapas elaborados pelas equipes foram finalizados pela minha grande amiga Vitória Monteiro!

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

A família Bio Teia tomou este trabalho como sendo parte de sua vida, se preocupou e sofreu, e se alegrou em cada perda e em cada conquista.

Hoje o Plano de Manejo da APA Bacia do Rio Descoberto é uma realidade e ele está concretizada, cabe ao poder público e aos representantes da sociedade civil fazê-lo ser executado da melhor forma possível e a implementação da APA Bacia do Rio Descoberto ser uma realidade que dure para todo o sempre. A sociedade brasileira precisa desta Unidade de Conservação!

Eu Fabiana Dallacorte, Bióloga, administradora da Bio Teia Estudos Ambientais e coordenadora do Plano de Manejo da APA Bacia do Rio Descoberto tenho muita gratidão pelos ensinamentos e pela amizade conquistada ao longo do processo de elaboração deste Plano de Manejo.

Contem comigo sempre que precisarem.

Fabiana Dallacorte

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>